facebook.com/monica.sampaio1 (perfil 1)

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

SABOREIE AS PALAVRAS




Palavra tem sabor, sabia?
Palavra tem poder, tem carga emocional, mas, principalmente, palavra tem sabor.

Quando saboreamos a palavra, mastigando-a com cuidado, sentindo o seu gostinho, a transmitimos melhor.

Tudo o que colocamos em nossa boca tem gosto; tem sabor. Amargo ou doce, tem sabor.

Um notícia ruim, tem sabor de dor no peito, de tristeza, de amargura. Sabor de “não quero”; sabor de “sai pra lá”!
Notícia ruim tem gosto de ovo podre. Sabe, aquele sabor que não queremos sentir?
E o rosto acompanha. E dá-lhe careta! Argh! Eca! Que nojo! Nem pensar! Ui!

Experimente falar em voz alta: “Estava na estrada, quando derrapou, capotou três vezes, bateu de frente no caminhão e esmagou parte da perna.” Ou então: “O peixe estava estragado! Com gosto de cruz credo com Deus me livre!"

Saboreou isso?

Pois é. Podre, né? Mas assim é que tem que ser falado: saboreando cada palavra.
Existe sabor gostoso e sabor ruim. Mas tudo tem que ser saboreado!
Tarefa difícil! Saborear palavra ruim é pior do que ... ah, sei lá, imagine aí você o que é que pode ser pior do que isso!


Saboreie algo gostoso agora ...

Vamos para uma tarefa mais agradável: saborear notícia boa! Essa faço questão de sentir o sabor de cada letrinha! Como é gostoso saborear palavras boas, que possuem carga emocional de alegria, de prazer, de amor, de segurança, de paz!
Agora, faça o mesmo exercício com uma frase deliciosa:
- “Cheguei em casa e tudo estava maravilhosamente arrumado: a casa, o meu banho, a comida.! Uma paz! Uma tranqüilidade! Tudo fantástico!Super agradável!
- “Vou fazer tudo o que eu gosto hoje! Tudo que me dá prazer! Hoje estou muito alegre! Tudo deu certo, do jeitinho que planejei! Como estou feliz!

Tem como não saborear um “prato” lingüístico desses?

Quando ao falar, saboreamos as palavras, a informação que queremos transmitir vai numa "bandeja" mais “robusta”, para ser melhor “apoiada”. Na Comunicação, 7% do que transmitimos, o fazemos através da Palavra: é o conteúdo Intelectual. Já 38% é a transmissão feita através do Tom da Voz; e 55% transmitidos através da Linguagem corporal.
Ao saborearmos a palavra, no mínimo, estaremos utilizando 45% do nosso corpo na Comunicação (no caso de não estarmos sendo visualizados).

Então, que façamos o melhor!

No Tom da Voz, utilizamos os recursos fisiológicos que nos são disponibilizados pelo nosso organismo, como timbre da voz, colocação/impostação, respiração, ritmo, projeção, articulação dos fonemas etc.
Aliado à parte fisiológica da emissão da voz, temos a capacidade interpretativa.
O domínio do significado das palavras é de fundamental importância para o nosso paladar lingüístico, pois como iremos saborear a palavra se não soubermos qual é o seu sabor?
E o cardápio é o Dicionário (alguém aí disse: “muito prazer” -?!) Nele encontramos diversos recheios para um mesmo prato! Pratos deliciosos, muito apetitosos, se encontram neste cardápio. Vale a pena degustá-lo!

Adquira o hábito de dar uma olhada no dicionário para aumentar e aprimorar o seu vocabulário; faz bem para a saúde da sua interpretação de texto. Aliás, com este saudável hábito, você poderá fazer variações de um mesmo prato e surpreender prazeirosamente os seus ouvintes-convidados para o seu banquete comunicacional.


A Arte de Saborear as Palavras


Deguste, mastigue, devagar e com suavidade, cada palavra; aproveite o momento da fala. Valorize o que vai dizer. Valorize-se pelas palavras que saem da sua boca.

A palavra certa dita da maneira certa remove qualquer montanha indigesta.


Mônica Sampaio - monica_sampaio_melo@hotmail.com

Consultora sobre Técnicas de Apresentação em Público para Palestrantes.
Radialista e Escritora.

Empresas em que já ministrou treinamentos e palestras:

Petrobrás; Opportrans MetrôRio; Faculdades Simonsen; SENAC-Rio; Universidade da Maturidade Estácio de Sá; Casa de Cultura da Universidade Estácio de Sá; Dataprev.