facebook.com/monica.sampaio1 (perfil 1)

sexta-feira, 26 de junho de 2009

QUEM PRECISA DO DIABO SE EXISTE O BISPO MACEDO? A GLOBO QUE O DIGA!




A Record vai arrebentar a audiência dominical!
Quem precisa do diabo para atazanar a vida, se existe o Bispo Macedo?
A Globo que o diga!
Gugu vai para a Record e Roberto Justus para o SBT. Justa troca (na verdade não sei se é justa ... só quis aproveitar o trocadilho - :))

Bem, o Gugu a gente já conhece o produto "Gugu Liberato".
O Justus, solamente como aprendiz ... de apresentador de programa de TV.




No caso do Gugu Liberato, casa nova, trabalho novo, sempre motiva uma renovação pessoal. Talvez, a Record é que não queira, pois não o contratou por produzir exatamente o que produz?
É um golpe de mestre a contratação de Gugu pela Record!
Ele é o rapazinho que um dia superou o mestre.
O Gugu foi o único que Silvio Santos colocou para ocupar o seu lugar (parcial) no domingão do Silvão!
Celso Portiolli comeu uma fatiazinha, mas o grande pedaço coube a Gugu.
Foi o Gugu que passou a ser a "cara" do SBT.

Em compensação, o SBT está apostando numa "cara" nova. Será um tiro no escuro?
Nem imagino o Roberto Justus, Ratinho, Netinho, Hebe e Eliana juntos em uma mesma programação. Jogo dos sete erros. Quem não pertence ao grupo; quem está destoando do cast do SBT?

Ah, a Eliana também está voltando ao SBT. Sinceramente, nunca entendi a escolha de Eliana para comandar um dominical. Mas enfim, não me consultaram ... rs.

Da mesma forma, que nunca entendi essa insistência da Globo no Fausto Silva, e com um senhor salário! Não entendi ainda porque a Globo não investiu, dominicalmente falando, no Luciano Huck, que é bem mais interessante e bem mais simpático do que o Faustão. Aquela irreverência do "Perdidos na Noite" nunca decolou na Globo; o que era irreverência na Band, se transformou em grosseria e falta de educação na Globo.




Já Roberto Justus se "impôs" ao mercado. Ele quis porque quis ser apresentador de TV (mesmo com sua "cintura dura"); assim, como ele quis porque quis ser cantor e gravar um CD. Conseguiu.
Roberto Justus é um homem que consegue. Ele tem demosntrado que sempre consegue o que quer.

Ele emplacou uma boa audiência com o Aprendiz. E o largou com um largo sorriso, para alargar seus horizontes profissionais, e abraçar o tão sonhado sonho de ser apresentador (contínuo) de um programa de TV. Dreams is dreams! E alguns podem realizar os seus.

Não sei se vou gostar mais do Gugu como protagonista da Record, e não sei se vou gostar menos do Justus, fora do Aprendiz, como apresentador do SBT. Aqui só estou registrando a ocorrência.

Aliás, estão cogitando o Nizan Guanaes como próximo apresentador do Aprendiz.
Por que outro publicitário? Acabaram-se os apresentadores profissionais? Óia eu aqui, gente! É atriz apresentando; é jornalista apresentando; é escritora de um livro sobre o caminho das borboletas (...) apresentando; era costureiro apresentando; sexóloga apresentando; ex-deputado apresentando (não vingou o programa do Roberto Jefferson, né?)

Nada contra. Mas vocês sabiam que existem apresentadores com registro de profissão regulamentada? Eu sou locutora-apresentadora-animadora-entrevistadora-noticiarista com registro desde 1984 (comecei em dezembro de 1983).
Nós, os locutores/apresentadores perdemos lugar também, na apresentação dos telejornais, há alguns anos, quando nos proibiram de apresentá-los, alegando que somente jornalistas saberiam melhor apresentar telejornais, já que eles os redigiam. Hã Hã. Sei... não sabemos não ... não foi a nossa profissão - os Speakers - quem começou desde sempre a apresentar noticiários. Uma atitude classista que nós, os locutores-apresentadores, por falta de união da classe, ficamos assistindo, impassíveis, de cadeira.

E os locutores ainda não se tocaram que, se continuarem individualistas como estão, cada um só pensando na "sua vaguinha"em alguma emissora, só pensando em seu próprio salário, vão perder cada vez mais espaço! Vai, locutor, tentar dublar um filme... Não pode! Tem que ter registro de Ator. Vai o ator então fazer uma locução. Ah, aí pode! Mas que diacho de profissão regulamentada é essa do Locutor-apresentador, em que, todas as demais profissões podem exercer, mas é uma via de mão única? O pau que dá em Chico não dá em Francisco, neste caso.

E agora, vem o Roberto Justus apresentador!
Justo. Quem não faz gol, toma.

Voltando aos meninos, Gugu e Roberto.

São dois grandes homens de Comunicação, muito bem sucedidos, inteligentes, ousados, que ficam na frente do fogão, olhando o seu bolo enquanto cresce no forno; que levantam de madrugada, pra dar aquela espiadinha, em seu gado no curral. O olho do dono é que engorda o boi! E estes dois não brincam em serviço. São eles que mandam e ponto. Não estão escorados no poder da emissora de TV para a qual trabalham; não estão à mercê do seu contrato de trabalho, segundo uns e outros... Eles fazem o seu próprio marketing. Eles mesmos é que dirigem o seu próprio espetáculo.

O nível pessoal do Roberto Justus é muito bom. Não o vejo apresentando um programa popular, como é a audiência do SBT. Será que ele irá para a próxima fase ou será DEMITIDO? O Silvio Santos não tem medo de colocar ninguém na geladeira! Quando não gosta, coloca logo debaixo do braço e abafa o caso. O que é que aconteceu com a Ana Paula Padrão e com tantos outros profissionais competentíssimos que passaram por lá?

Edir Macedo não está de brincadeira não! Quem mandou a Globo o provocar, em 1995, ao colocar no ar, aquele vídeo (http://www.youtube.com/watch?v=1dRnRTSOTFw)? Deus perdoa, mas Macedo ...

sexta-feira, 19 de junho de 2009

FÓRMULA UM PODE SALVAR VIDAS




Se a quantia estimada da perda de R$ 4,3 bilhões (aproximadamente US$ 2,2 bilhões ) pela Fórmula 1 caso o racha se cumpra, fosse direcionada para sanar o gravíssimo problema mundial da FOME e da MORTALIDADE nos países pobres, valeria a pena o fim da Fórmula 1, como a conhecemos há 6 décadas.
A estimativa deste valor é do site especializado em finanças do automobilismo, Formula Money, e essa quantia equivale ao investimento que as equipes fazem na Fórmula 1.
Sem chegar a um acordo com a Federação Internacional de Automobilismo – a FIA -, as equipes anunciaram, na última quinta-feira, a criação de uma nova categoria de automobilismo, contendo as oito escuderias dissidentes: Ferrari, McLaren, Renault, BMW, Toyota, Brawn, Red Bull e Toro Rosso.
A FIA diz que não é possível aliar liberdade técnica para inovar, com liberdade de gastar sem limites.

Vamos mastigar antes de engolir essa notícia.

Não sei quais são as reais intenções do presidente da FIA, Max Mosley, mas sei que uma reflexão humanitária sobre este assunto é saudável e importante.

Me impressiona – perdoe-me a licença de iniciar a frase com um pronome, mas, estou conversando com você; portanto, sinto-me mais à vontade em iniciar a frase com “Me impressiona”, do que com o pedante “impressiona-me”. Bem, me impressiona o fato de sabermos que SERES HUMANOS – crianças, como as nossas; mulheres, como as nossas; homens, como os nossos; velhos, como os nossos pais ou como os nossos avós, morrendo, sem assistência médica, sem alimentação, sem saneamento básico, sem moradia digna, sem educação, sem DINHEIRO que lhes possa proporcionar essas coisas básicas de sobrevivência e dignidade, enquanto o famoso “circo” da Fórmula 1, aparentemente indiferente a essas necessidades humanitárias mundiais, discute “teto” para se gastar dinheiro com corrida de automóvel. No final das contas é isso: a FIA quer limitar os gastos nos investimentos das máquinas e as escuderias querem que o céu seja o limite de seu desperdício de dinheiro.

Quantos medicamentos não poderiam ser fabricados com este dinheiro, e doados a estas populações? Quantos hospitais poderiam ser construídos? Quantos profissionais da Saúde poderiam ser enviados em missões para lugares tão amargamente abandonados, com este dinheiro gasto pela Fórmula 1? Quantos alimentos a mais poderiam ser produzidos, e até, inventados, com esta dinheirama toda?




Falamos em perdas de SERES HUMANOS. Agora, vamos falar de extinção e de maus tratos aos animais.
Centenas de milhares de animais são barbaramente sacrificados em rituais horrendos para a manutenção e desenvolvimento do ramo “supérfluo” – na relação sacrifício-benefício -, por exemplo, da Cosmética. Será que um investimento de 2 bilhões de dólares em pesquisas nesta área, para banir o sacrifício dos animais nos laboratórios, não seria mais vantajoso para o ecossistema?
E isso, só um dos exemplos, no tocante ao sacrifício animal.



Está bem, não vamos falar nem de seres humanos nem de animais. Vamos falar do aquecimento global. Essa dinheirama toda, gasta com a Fórmula 1 – e com o futebol também -, um gasto absolutamente desnecessário frente às prioridades da humanidade, não poderia ajudar a despoluir o mundo? A criar mais áreas de reflorestamento? A combater o desmatamento e as queimadas? A despoluir rios, mares e lagoas?



Parafraseando o outro, eu digo: “Me ajuda aí, ô!”
Será que estou sendo ingênua e utópica?
Desculpe, mas estou me lixando – lixo ecologicamente correto, tá? – para as críticas neste sentido. O que não posso concordar é que um irmão meu esteja perdendo um filho seu - ou a própria vida -, por falta de alimento e de medicamento, com tanto dinheiro sendo gasto, em coisas supérfluas como corrida automobilística e salários altíssimos (demais!!) de atletas. Supérfluos em relação à vida humana, à vida animal e à vida do planeta.




Será que a humanidade não poderia agir mais instintivamente, no sentido de se preservar, de preservar o seu habitat natural?

Por que um investimento tão absurdamente alto no entretenimento e não na VIDA?




A Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO), divulgou em dezembro de 2008 que o número de famintos pode chegar a 943 milhões, contra os 923 milhões estimados em 2007. Um aumento de 40 milhões de pessoas, em 1 ano.

Vamos nos refletir no outro, saindo um pouco do nosso epicentro: o próprio umbigo.
Vamos praticar o amor ao próximo, de verdade.

O amor ao próximo não são só palavras; mas sim, poder. Poder de salvar vidas. Humana, animal e do planeta.


Uganda, África, 1981


Mônica Sampaio
Radialista, Escritora e Compositora



http://twitter.com/MonicaSampaio
skype: monica_sampaio_melo
msn: monica_sampaio_melo@hotmail.com
email:monica.sampaio1@gmail.com

www.monica-sampaio.blogspot.com
www.radialista-monicasampaio.blogspot.com
www.bocadahumanidade.blogspot.com
www.docoracaodedeusparaoseucoracao.blogspot.com
www.workshock-monicasampaio.blogspot.com

Comunidade RÁDIO & LOCUTORES:
http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=371332
Comunidade CURSO DE LOCUÇÃO * MÔNICA SAMPAIO
http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=67345105


Toda sexta um artigo quente. Acesse!
WWW.monica-sampaio.blogspot.com

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Não sei se isso é bom ou se é ruim ...



Não sei mesmo. Juro. Responda você.

O BRASIL VAI EMPRESTAR US$ 10 BILHÕES PARA O FMI

A origem deste dinheiro não é a arrecadação de impostos; eles são oriundos das reservas internacionais.
Segundo as explicações que busquei na Internet - porque não entendo lhufas de Economia - com os saldos positivos na balança comercial (leia-se: mais exportações do que importações), e a entrada de capitais, os dólares acumulam-se no mercado interno. Formam-se as reservas quando o governo compra parte dessa moeda estrangeira e paga em reais.

- "A vantagem para o Brasil é o retorno, uma taxa de juros, e uma proteção em períodos de fuga dos investidores internacionais, por exemplo" - segundo o site Economia Clara (http://economiaclara.wordpress.com/2009/04/22/brasil-vai-emprestar-ao-fmi-de-onde-vem-o-dinheiro/)


Tá. Agora que a gente já falou em economês, vamos falar em português claro.
Veja estas imagens.


Reforma agrária para resolver a questão dos conflitos territoriais


Investimento para o combate ao desmatamento da Amazônia


Combate à Pobreza


Combate à Prostituição Infantil


Combate ao trabalho infantil



Melhores condições de moradia para a população brasileira


Melhoria do caos da Saúde Pública


Melhoria do Ensino Público e valorização salarial dos profissionais da Educação


Geração de novos empregos, melhorando a vida de milhões de brasileiros


Sem querer ser ufanista, mas esses DEZ BILHÕES DE DÓLARES não teriam que sanar primeiro as nossas dificuldades internas?

Você sabia que ainda existem pessoas passando fome no Brasil, comendo o lixo do chão?

sexta-feira, 5 de junho de 2009

O IMPREVISÍVEL




Existem momentos em nossa vida, nos quais não temos o mínimo acesso aos controles; nos quais, a nossa decisão, as nossas escolhas, o nosso corpo, a nossa vida, não estão nas nossas mãos.
Não estou falando da infância. São momentos não cronológicos, que podem acontecer em qualquer idade.

Nesses momentos, só dos nossos pensamentos, só do que vamos sentir, é que temos algum controle. Isso, se tivermos consciência disso; pois, senão, nem sobre esses, teremos primazia.

Momentos em que nos sentimos nas mãos de algo desconhecido, cujas conseqüências, também são desconhecidas. Pode acontecer – e acontece – com todo mundo.
Cada um justifica esses momentos como bem entende; o que não muda suas conseqüências, de modo algum.

Esses momentos imprevisíveis na vida do ser humano, servem para se fazer um upgrade da nossa capacidade. Capacidade de agüentar. Capacidade de chorar. Capacidade de acreditar. Capacidade de aceitar. Capacidade de transformar. Capacidade de esquecer. Capacidade de perdoar.

Acidentes, incidentes; aquilo que não se esperava. Esses momentos i-m-p-r-e-v-i-s-í-v-e-i-s parecem, muitas vezes, que vão estourar o nosso peito – e, e muitas vezes, estouram peito, cabeça ... o corpo inteiro; partes dele ... -, e quando, conseguimos pensar no que aconteceu, a “ficha” custa a cair.

O imprevisível não é maniqueísta; ele pode ser bom ou ruim. Um pouquinho ou ao extremo.
O imprevisível normalmente nos faz chorar. De alegria ou ...

Por isso, é importante nos prepararmos, de algum jeito, para o imprevisível – bom ou ruim; conosco ou com alguém querido.

Há alguns anos, passei por um momento imprevisível desses. Desses que a gente imagina que só acontece com os outros. Doeu. Hum! Doeu muito!

Aí, a gente se pergunta: mas existe uma maneira de se preparar para o imprevisível?


Hoje, eu te respondo que sim. Existe sim. Seja qual for o imprevisível.
Quando damos a responsabilidade maior para quem de direito, nos colocamos mais flexíveis, e a flexibilidade evita a quebra.

Se você não crê – e não quer crer – em Deus, e no fato de que Ele é o Criador e detentor do nosso passado, presente e futuro, desculpe, mas daqui pra frente, este texto não é mais para você. Daqui pra frente vamos falar sobre FÉ. É a única maneira de se preparar para um imprevisto.


Nenhum de nós já nasceu com jeito de superheroi, como diz a letra da musica da cantora Jamily.
É a partir da fé que professamos – ou da ausência dela – que nos preparamos para os imprevistos. Para agir. Ou para ficarmos quietos.

Quando o imprevisto aconteceu na minha vida, há cinco anos, eu não estava preparada. Mas serviu para me preparar para agora estar.
Hoje eu confio em Deus totalmente. Sei que Ele está no controle da minha vida. Sei que tenho que prosseguir, pois Ele abre todos os caminhos pelos quais tenho que passar. Sei que Ele não me dará nada além do que eu possa suportar.

Olha que história interessante.

Certa vez, uma família estava passando por uma situação financeira muito difícil.
Essa família era composta por mãe e dois filhos.
O único que estava trabalhando fixo era o filho mais velho. Mas como ganhava muito pouco, pouco compravam de mantimentos para a sua casinha.
As poucas contas que tinham, também eram pagas com muita dificuldade, inclusive, com atrasos.

Um determinado dia, aconteceu o que eles esperavam com tanto receio: chegou a companhia de energia elétrica, para lhes cortar o fornecimento, pois, deviam já duas contas, num valor que a família não tinha como pagar. Mesmo que deixassem de comprar mantimentos numa de suas compras semanais de mercado, não daria para pagar uma única conta sequer.
E para complicar a vida desta humilde família, o pai do garoto menor não conseguia ser constante na parca pensãozinha de cem reais por mês, que enviava. Ele conseguia “furar” sempre quando a família se encontrava no maior aperto.

A mãe tinha feito dois “bicos”, mas tinha recebido “pernada” dos dois.

Agora é a hora que se pergunta: essa família cria em Deus?
Cria! E como cria!
Então, por que estavam passando por tudo isso?


“Há coisas que não sabemos, e elas pertencem ao Senhor, nosso Deus; mas o que ele revelou, isto é, a sua Lei, é para nós e para os nossos descendentes, para sempre. Ele fez isso a fim de que obedecêssemos a todas as suas leis.”
(Deuteronômio 29:29)


Quem conhece a Bíblia Sagrada sabe que Deus permite que coisas nos aconteçam para provar o nosso coração. E para nos fortalecer, porque, no final, Ele nos dará o fim que esperamos.

Pois esta pequena família, sozinha, empobrecida, estava sendo provada no Amor de Deus.

E esse determinado dia, que eles esperavam com tanto receio chegou. A campainha tocou e o filho mais velho depois de atender, foi comunicar à mãe que era a companhia elétrica que viera cortar a luz.
Neste momento, este filho estava trabalhando no computador, editando um programa de vídeo que ele e a mãe dele faziam e colocavam na internet para ser visto. Esse programa fala da Palavra de Deus.
Essa mãe disse ao seu filho: “Apenas desce, com calma e NÃO PEÇA NADA A ELES. Nós estamos errados e eles, certos.”
E quando o filho já ia saindo, ela ainda o avisou:
“E não se esqueça: DEUS É CONOSCO!

Essa mãe ficou no quarto, conversando com Deus.
Na mesma manhã, um pouco antes, ela havia saído para caminhar, e estava perguntando a Ele: Quando será que a porta que tanto preciso me será aberta?
Foi então, que Deus começou a lembrá-la que haviam três pessoas que a estavam devendo dinheiro: o pai de seu filho menor, e dois outros profissionais de sua área de trabalho.
E Deus lhe lembrou também, de um trecho da Oração do Pai Nosso: “
Perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores.
” (Mateus 6:11)

E lhe disse: “Filha, você tem condições de perdoar estes teus devedores, justamente neste momento em que tanto precisa?

Ela, mesmo um tanto desanimada, desgastada pelo tamanho da luta que está atravessando, disse: Sim! Eu perdôo todos aqueles que estão me devendo. Na verdade, um ela já havia perdoado e comunicado a ele há uns dias atrás.
Ela disse a Deus: “Eu perdoei aqueles que estavam me devendo, agora, Pai, perdoa a minha dívida com a companhia de energia elétrica!

Momentos depois, o filho dela começa a tocar insistentemente o interfone. Quando ela finalmente atende, ele lhe diz que os funcionários NÃO IRIAM CORTAR O FORNECIMENTO. e que eles lhe explicaram como proceder.

Ela disse: É DEUS!
O filho respondeu: “Foi o que eu disse, inclusive, agradecendo a Deus na presença dos funcionários. Um deles quere falar com você.”
Ela falou com ele, e o abençoou e à sua família. E ele lhe retribuiu.

E por causa disso, esse artigo pôde ser escrito e postado hoje na internet.
Essa mãe, sou eu.

E o programa que o meu filho está editando é o segundo episódio DO CORAÇÃO DE DEUS PARA O SEU CORAÇÃO. (www.docoracaodedeusparaoseucoracao.blogspot.com)
Por estes dias, o programa irá ao ar. É só aguardar.

As contas de luz?
Creio que assim como Deus não permitiu que cortassem a energia, Ele já está providenciando recursos para nos permitir o pagamento delas, porque Deus não é caloteiro, e não permite que seus filhos o sejam.

Tenha FÉ.

Este artigo é uma homenagem às vítimas do vôo 447 da Air France e um abraço fraterno para todos os seus parentes.


monica_sampaio_melo@hotmail.com