facebook.com/monica.sampaio1 (perfil 1)

sábado, 25 de julho de 2009

TÊM UMAS COISAS ESTRANHAS NESTE MUNDO...


John Travolta - em cena de seu mais recente filme “The Taking Of Pelham 123” -

OU NÃO SÃO DESTE MUNDO?



Segundo o que o site Globo.com divulgou

“Além da morte do filho, a falta de fé na Cientologia, doutrina que segue há 34 anos, também estaria contribuindo para a depressão de JohnTravolta. Ele não estaria mais acreditando que a religião (dele) pode curar males físicos e mentais.”

Agora - o jornal continua – com o mais grave:

“Ele também estaria decepcionado, porque a Igreja (da Cientologia) teria ameaçado revelar detalhes de sua vida pessoal e supostas relações homossexuais do passado do astro, caso, ele largue a organização.’


Cientologia – o que é?

Crítica de críticos normalmente me colocam numa posição de cautela. Pois todo mundo é um pouco crítico de alguma coisa e técnico de futebol. Mas, além disso, grande parte das críticas são baseadas em pouca ou nenhuma observação ou pesquisa; fundamentando-se no “ouvir falar”. E isso é leviano.
Portanto, por querer me abster da leviandade para comentar este assunto, fui pesquisar sobre Cientologia. E é este o tema deste artigo.





Li no Wikipédia que “A cientologia é um sistema de crenças fundado em 1952 pelo autor de ficção cientifica L. Ron Hubbard (1911-1986, nascido em Tilden, Nebraska). A cientologia foi oficializada em 1954. Esta religião baseia-se nos livros de Hubbard Dianética: A Moderna Ciência da Saúde Mental (1950), Dianética: A Evolução da Ciência e Ciência da Sobrevivência.”

Mas a melhor parte vem agora. Olha que delícia:

“Enquanto os rumores de que Hubbard apostara com Robert A. Heinlein que ele iria criar uma religião seja certamente falso,[carece de fontes?] outros reivindicam que tinham conhecimento que durante 1949 Hubbard passou para outras pessoas as intruções que iniciariam um bom caminho para ganhar dinheiro. Escritor e editor Lloid Arthur Eshbach, por exemplo, refere-se a Hubbard dizendo "Vou criar uma religião. É o que dá dinheiro". O escritor Theodore Sturgeon refere que Hubbard fez similar afirmação na Sociedade de Ciência da Fantasia de Los Angeles. A Igreja de Cientologia negava estas declarações e suplicara ao editor para negá-las. Membros diziam que a verdade ou a falsidade de tais alegações eram irrelevantes e asseguravam que na igreja encontrariam suas necessidades espirituais.”


Agora vou explicar porque chamei de “delícia” isso.

Está mais do que provado que é fácil, muito fácil, ganhar dinheiro com religião, seitas, esoterismo, autoajuda, terapias que prometem um bem estar com o seu eu interior etc. etc.; tudo o que explorar a miséria da alma humana e seus placebos, ganha dinheiro.

Então, logo de cara “planta-se” a notícia que Hubbard “apostara que iria cria uma religião, alegando ser o “que dá dinheiro.”
Caraca! É ou não é um prato cheio para os críticos da Cientologia?

Mas por outro lado, ficaria muito fácil para se defenderem, alegando simplesmente que a notícia é falsa; que foi “plantada” por humanos do mal, a mando de extraterrestres do mal. (É! a coisa toda não é brinquedo não! Tem origem extraterrestre e tudo; digno de um Oscar de Melhor Criação em ficção científica (Lembrando que L. Ron Hubbard, o criador da Cientologia, era o que mesmo? Autor de livros de ... ficção científica.)


Tom Cruise: Considerado o "Jesus Cristo" da Cientologia, devido ao seu empenho em divulgar pelo mundo esta religião.

Isso é apenas uma informação superficial sobre esta autointitulada religião, denominada Cientologia, que conta com nomes de holywoodianos famosos, como a atriz Anne Archer, Jennifer Lopez, Sony Bono, Will Smith, Tom Cruise, como o próprio John Travolta. Dizem que Cruise “comeu” a placenta do seu filho, quando sua esposa deu à luz. Tudo baseado nos fundamentos que sustentam a Cientologia. Não é curioso o fato de que artistas milionários, com uma abrangente exposição na mídia, e conseqüente força na formação da opinião pública, sejam “pescados” por esta religião? Qual seria o motivo que os atraiu? O fato de que nós, os humanos, seríamos seres extraterrestres, como alega a Cientologia? Seria o fato de “não conseguirem” mais lidar com o mundo real?




Enfim, é uma coisa obscura. E esta lebre que os jornais levantaram a respeito da ameaça sofrida por Travolta, por parte de sua “igreja”, que, se ele deixar a organização, eles divulgarão todos os seus segredos pessoais – inclusive suas experiências homossexuais -, obtidos através de uma espécie de sessão de psicanálise, que os membros desta religião passam, na justificativa de que precisam entrar em contato com seus traumas para poder superá-los; será que tem lebre atrás da moita?

Religião é sempre uma questão delicada, pois trata-se de criação meramente humana, passível portanto, de manipulação.

Mas que este “pano pra manga” envolvendo a morte do filho de John Travolta, e os acontecimentos posteriores, como o processo por extorção, que o ator moveu contra um político que era seu amigo e, contra o paramédico que socorreu seu filho, no dia em que acabou falecendo (Depois você lê no noticiário, a respeito destes fatos) é muito estranho.

O ser humano tem tendência a se deixar ser enganado.
A se deixar ser corrompido.
Seria uma inclinação a fugir de algo que, a princípio, daria um certo trabalho, como, corrigir caminhos moralmente tortos, e procurar viver de forma harmoniosa com o mundo ao seu redor, praticando o amor ao próximo, aos animais e ao planeta?
Porque o amor não faz mal.

(...) “O próprio fundador (da Cientologia) instituiu a prática de "fair game" como forma de utilizar o sistema judicial como ferramenta para assediar os seus detratores públicos forçando-os a longos, penosos e onerosos processos judiciais e apesar de continuadamente negado, vários cientologistas tem história de uso de força bruta contra seus críticos (tais organizações são chamadas de supressoras de pessoas). Elas tem usado processos judiciais contra pessoas, jornais, revistas, estúdios de televisão, serviços de provedores de internet, agencias governamentais e outras. Possuem uma quantidade recorde de testemunhos, por exemplo, um documento policial emitido em 1967 contra uma organização de jogos (se bem que tenha sido revogado posteriormente) o qual é lançado contra seus críticos e diz: "Devem ser enganados, processados, fraudados ou destruídos." A Igreja é uma das poucas organizações convictas de uso da fraude e do pleno uso frívolo dos processos judiciais com o fim de causar perturbação.”

(Fonte: Wikipédia - http://pt.wikipedia.org/wiki/Cientologia)


John Travolta: Sofrendo de Depressão