sábado, 4 de julho de 2009

GORDOS PODEM VIRAR MODA NOVAMENTE!



Só depende de mim e de você.
Depende dos formadores de opinião.
Depende da sociedade.

Existem duas ou três pessoas, no mundo, que “resolvem” ditar uma determinada moda, e uma multidão de cerca de seis bilhões, que resolvem obedecê-los. Está criada, então, a Ditadura da Moda.

É um cabelo assim, e não mais um cabelo assado!
Um comprimento de saias assado, e não mais um comprimento assim.
Cós alto; cós baixo.
Ora pernas finas; ora pernas musculosas;
Ora seios grandes; ora seios pequenos; ora grandes novamente.

Ser magro ou ser gordo é tudo uma questão de MODA.
E moda, nem você – nem o mundo – PRECISA seguir.



Se alguém quer usar um chifre de porco do mato transpassando seu nariz, é uma opção que deve ser respeitada. Mas não tem que ser imitada.



Ser magro ou ser gordo é uma questão de saúde sim.
Magreza demais pode ser sinônimo de doenças físicas e psicológicas.
Corpo malhado demais pode ser sinônimo de uma doença chamada VIGOREXIA (overtraining, em inglês), ou transtorno dismórfico muscular; é o culto excessivo ao corpo.

Corpo perfeito é aquele com o qual VOCÊ se sente bem. Com o qual se sente corfortável, e bela (ou belo) e está realmente saudável.



A beleza tem muito mais a ver com charme, com sentir-se atraente e passar esta informação através da linguagem corporal, do que com a forma física e feições padronizadas pela ditadura da moda.
Já viu o novo comercial da VIVO? Tem um casal de crianças dançando em um determinado trecho. A menininha não se enquadra aos padrões da ditadura da beleza. Mas, o charme dos seus trejeitos a torna linda!



Chega desse negócio de corpinho malhadinho e saradinho!
Isso é uma loucura!
Acordem o Boticelli, o Miquelangelo e aquela turma toda da Renascença que gostava de gordo!



É um “saco” sentir-se oprimido por estar acima do peso! (Como se não faltassem assuntos muito mais sérios que estética, para se preocupar!)

Abaixo a ditadura da magreza e do corpo malhado!
Abaixo a ditadura dos cortes “quase careca” dos homens!

Que doideira isso!
Vamos parar pra pensar, gente!
Vamos sair da caixa!


Quem é que quer as mulheres magérrimas?



Quem é que quer os homens de cabeças raspadas, sem a beleza dos cabelos emoldurando seus rostos?

Que loucura é essa de seguir modismos?
PÁRA O MUNDO, QUE EU QUERO SALTAR!

Quero desfilar a minha banha por aí e mesmo assim, me sentir amada, admirada e desejada! Porque gordo ama, admira, deseja e sabe ser sensual prazeiroso como qualquer magro. E é mais fofinho de se abraçar ...


A MODA criou - isto sim !- três doenças fatais:

A ANOREXIA, A BULIMÍA E A VIGOREXIA




E deturpações estéticas, sociais e psicológicas mortais.



Vamos valorizar o que realmente tem valor, mas que não pode ser visto, pelos olhos, nem comprado, por dinheiro algum.
Caráter. Dignidade. Generosidade. Sinceridade.

Chega de bobagem, sociedade.
É hora de amadurecer.
Para poder, realmente, ter o melhor.

monica.sampaio1@gmail.com

4 comentários:

Anônimo disse...

Olha,concordo com você na questão da ditadura imposta por alguns a todos.Mas,discordo quando diz que gordo deve está na moda novamente.Aí,quem vai ser discriminada, sou eu que sou magra por natureza.Creio que a solução é cada um respeitar e ser feliz com o corpo que tem.Chega de querer subjulgar as pessoas a um determinado padrão!

Anônimo disse...

estava procurando dicas de moda para gordos e achei essa matéria, acho que nunca me senti tão bem comigo mesmo.Sou gordo desde que me entendo por gente e ja nesse tempo fazia dietas, frequentava médicos...até que decidi me aceitar a adatar-me a mim mesmo,hoje sou uma pessoa mais feliz.e assim como obesidade éuma doença bulimia, anorexia e vigorexia também são, eu sei que não sou saudável da forma que sou,mas tento mudar de forma controlada e sem paranóias. e nos meus quinze anos eu digo, nessa faze em que tudo é cobrado de nós e não sabemos como responder as cobranças, ser gordo é o máximo!

Marcus Melo disse...

Ótimo post.

Concordo sobre tudo que foi dito sobre a ditadura da moda... e suas consequencias.

Tá tudo errado!

Artur Felipe disse...

Muito boa a postagem!
As pessoas precisam entender que o corpo (de forma simbólica) é polissêmico, quer dizer, ele pode assumir vários significados e é determinado conforme cada época, cada povo, cada cultura em que se insere. Houve tempo, por exemplo, que a beleza feminina era representada por mulheres gordas e com "gordurinhas" bem aparentes. Atualmente, cultua-se a mulher magra e "sarada". Pode ser que volte a época das "gordinhas" em evidência, mas o mais importante é a pessoa ter o corpo que tiver de forma saudável e estar se sentindo bem consigo mesmo.
"O corpo perfeito é o que o que você tem e se sente bem" Prof. Artur Felipe - professorarturfelipe.blogspot.com