facebook.com/monica.sampaio1 (perfil 1)

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Ou MATO ou MORRO: CRISE NO MERCADO RADIOFÔNICO



Ou eu corro pro mato ou eu corro pro morro.


A coisa anda feia para o lado da maioria dos colegas de Rádio.

Que o diga a Ângela, do Rio de Janeiro. Não conseguiu nem entrar ainda!
Vamos ler o seu email.


“Olá Mônica, estou eu mais uma vez te escrevendo.
Menina, li a mensagem de alguns que já estão desistindo do sonho de ser locutores. Nossa, o mercado é pior do que eu pensei. Já vi que tem muita gente batalhando e não conseguindo nada! Estou um pouco "desesperançada"!
Quando optei pelo mercado não imaginei que fosse assim tão difícil; pois a minha perspectiva era de que, sendo um mercado sem preconceitos de idade, não haveria maiores problemas. Agora vejo que me enganei! Meu Deus do Céu, o sol não nasceu mesmo para todos!”
Ângela


CALMA CALMA, NÃO CRIEMOS PÂNICO!

Ângela, minha querida, o mercado de trabalho realmente explodiu.


Por um lado, o advento das rádios jovens faz com que a “garotada” toda queira ser Locutor de Rádio, DJ, MC, MBA, USA, UFRJ, SOS etc.; e por outro, a publicidade tornou o jovem um dos seus alvos prioritários, o que faz com que o mercado de trabalho no Rádio se abra para o profissional jovem, mais do que para o amadurecido (digamos assim).

O mercado está inflado, obeso, tem locutor saindo pelo ladrão.

Mas será que é só no Rádio?


A população do mundo cresceu bastante.
Os jovens estão querendo entrar no mercado de trabalho mais cedo, e os maduros, não estão podendo sair dele... a aposentadoria não banca nem a própria passagem de busão para ir recebe-la! Mas também, né, locutor de Rádio aposentado?? Só morto é que locutor larga o microfone! Ou quando é demitido. E esse é um dos grandes fantasmas que rondam essa categoria profissional. E assusta mais do que corredor do prédio da TV Manchete pós-Adolpho Bloch, de madrugada (o quê? Quem trabalhou lá sabe disso! As histórias do 8º. Andar; do Museu; do Teatro ... um terror!)

A demissão assombra muita gente, porque, afinal de contas, uma grande parcela dos locutores de Rádio não sabe fazer outra coisa na vida. Nunca se preocupou em expandir seus horizontes profissionais. E quando a demissão o ronda, como uma negra nuvem sobre a sua cabeça, se desespera e não sabe o que fazer.

A “rodinha” gira pouco. Quem está na Roda do Rádio foi colado com Super Bonder (daquela que colou a caminhonete, nos Estados Unidos, com 5,02 toneladas, usando apenas 9 gotinhas do produto).


O RÁDIO ESTÁ OBESO

Vamos pensar assim, Ângela: O Rádio está precisando de uma dieta: precisa perder, no mínimo, 2/3 dos seus profissionais e pretendentes. Elaboraremos a seguinte restrição alimentar, pra ver se “este senhor” obeso desincha um pouco.

Primeiro, o trivial.
Vamos eliminar umas gordurinhas daqui, tirando, alguns programas musicais. Deixemos o Rádio mais “Talk”. Mas não com muito “papo-cabeça”, senão a galera de diretório acadêmico de universidade pode gostar.

O breakfast também tem que sofrer “umas perdas calóricas”; tá muito gordo com esse negócio de sertanejo! Isso incha o “ibope” matutino.



Hum! Debates Populares também “NÃO PODE!” - ouça aí a Fabiana Karla-Doutora Lorca falando - É uma bomba calórica! Convidados interessantes, falando coisas interessantes, como a Lucia Hippolito e seu marido, o Flexinha ... a galera do Táxi adora! Ordem do dia pra todos os participantes de debates: Fechar a boca!


Atriz Fabiana Karla, a Dra. Lorca, do Programa Zorra Total, da TV Globo



Podemos tirar uns docinhos e uns fast food dos programas de Funk vespertinos. Isso vai deixa-los bem sequinhos!






Ah! Não se esqueça de moderar nas cervejinhas dos programas de Pagode; porque programa de pagode também “NÃO PODE!”

Troca “As mais pedidas” por música clássica (erudita); porque música clássica “PODE!” Ela enxuga a audiência do povão!




É uma dietazinha básica, pra ver se o Rádio emagrece um pouco, afinando a cinturinha da rapaziada (apertando o cinto mesmo; mandando embora!), eliminando aqueles “profissionaizinhos” indesejados (aqueles, querida, que estão “roubando” a prezada vaguinha de quem está desempregado).

O problema do Rádio definitivamente é excesso de peso.


MSN/email: monica_sampaio_melo@hotmail.com